segunda-feira, 14 de maio de 2012

A cadela e a porca ( Autor: Dídimo Gusmão - baseado na obra de Esopo - 23375 - livro 5A)

A cadela e a porca.

Na fazenda Riacho doce, havia uma porca e uma cadela, que vieram ao mundo, somente para agredir uma a outra com injúrias.

─ Juro pela Deusa Afrodite, que se você não tomar tento e parar de me apoquentar, irei arrancar tua pele, de tanto que irei mordê-la. ─ proferiu a porca.

Subitamente, a cadela não deixou por menos:

─ Coitada! Tu não sabes o que diz ao jurar pela Deusa Afrodite. Ela gosta tanto de sua raça, que chegou a proibir a entrada de qualquer um que tenha ao menos provado de tua carne no seu templo. Porcalhona!

Imediatamente a porca tratou de replicar:

─ Você realmente, é muito tola. Não tá vendo que Afrodite me ama. Ao invés de odiar-me, como você mesma disse. Com este gesto, ela faz com que eu e os da minha espécie, não sejamos sacrificados.

Moral: Somente os sábios, conseguem transformar injúrias em elogios ditos por seus adversários.

Autor: Carlucio Bicudo - Obra Baseada na fábula de Esopo - registro 23375 - livro 5A

2 comentários:

Karine Tavares disse...

Teu blog é lindo, parabéns!

Vem conhecer o meu:
leiakarine.blogspot.com

Professora Hilda Helena disse...

Amei a fábula.